Você tem Coragem?

Ultimamente tenho ouvido que sou uma pessoa que tem Coragem. Então comecei a pensar se sou realmente uma pessoa corajosa. E, apesar de meu nome significar Coragem, nunca fui uma pessoa destemida, do tipo que se joga às aventuras e adrenalinas, como praticar esportes radicais, bungee jump, base jump, paraquedismo e coisas do tipo, para se ter uma ideia, nem em roda gigante eu vou!

        Apesar de muitas pessoas pensarem que isso é coragem, na verdade, é audácia, ousadia, atrevimento, não coragem.

Coragem, na verdade, é ter força quando preciso, bravura diante os riscos, ser valente perante os perigos, e digo mais, ter firmeza com tua própria verdade, consigo mesmo, (não adianta querer copiar receitas alheias, no máximo, se inspirar ou receber conselheiros) para enfrentar a vida, seja em situação emocional e/ou moralmente difícil.

            Em 2016, deixei meu filho de 13 anos com meus pais e fui fazer um estágio por seis meses no Japão. Eu que nunca nem tinha saído do país para ir ao Paraguai, tinha essa oportunidade de viajar para o outro lado do mundo!!! Claro que pesei os prós e os contras, contudo a minha decisão foi de superar meu pavor de subir em um avião e voar uma das viagens aéreas mais longas (11 horas até Abu Dabhi e mais 10 até o Japão); superei o medo de ir sozinha a um país diferente em termos de cultura, língua, enfim, tudo diferente; e por fim, (tentar) superar a saudade do meu filhote que, como disse, não pude levar comigo.

            As pessoas me diziam que eu era corajosa, porém eu não entendia como uma atitude corajosa, eu só pensava que eu estava aproveitando uma oportunidade única na minha vida. Não me senti especial em tomar essa atitude. Nem forte. Apenas sendo fiel à minha verdade como pessoa adulta.

            Recentemente, eu terminei um relacionamento mesmo ainda existindo amor, mesmo eu abrindo mão de sonhos, mesmo com o casamento com data pré-definida e preparativos encaminhados. Não me senti corajosa. Eu percebi o que eu precisava fazer naquele momento. Eu tive a percepção clara que não estava sendo feliz agora e que não poderia ser feliz no futuro com aquele homem. Então, depois de muito pensar (e orar) cheguei à conclusão de terminar meu relacionamento.

            Nos dois casos não foi fácil tomar as atitudes necessárias, mas as tomei. Se tive coragem? Não sei. Claro que depois de muitas reflexões e orações, fui prática e decidi. Embora que em 2016 Deus disse sim e em 2018 Ele disse não. (E Ele é soberano e continua sendo bom!)

            A verdade é que a todo momento temos que tomar decisões práticas, até quando decidimos não decidir, já decidimos algo. Decidir a roupa, decidir comprar ou não, vender ou não, ir ou não, ficar ou não, fazer ou não, refazer ou não, tentar ou não, estar ou não e, afinal, como disse Shaespeare, ser ou não ser, eis a questão.

            Se (com a graça de Deus) tenho coragem como me disseram, acredito que cada um tem tua coragem própria, adequada à tua própria necessidade, porque Deus nos guia assim…

Então somos todos corajosos!

Então temos todos coragem!

            Não importa qual seja a carga (o peso, a cruz, ou o nome que você queira dar: uma viagem solitária a um país distante, um termino de um relacionamento, etc.) que você tenha que carregar, porque Deus é fiel, Ele não permitirá que você carregue além das tuas forças, pelo contrário, Ele na hora certa te dará coragem para que você possa suportar tudo. (Parafraseando I Corítintios 10. 13.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s