Liberdade ou Morte

             Como sabemos, a data oficialmente aceita para a comemoração da Independência do Brasil é 7 de setembro de 1822, dia em que, às margens do riacho Ipiranga, em São Paulo, o Príncipe Regente D. Pedro I, ao receber a correspondência das Cortes, proclamou o chamado “grito da Independência”, à frente da sua escolta: “Independência ou Morte!”

        A palavra independência tem como sinônimos “bem-estar”, fortuna, conforto, comodidade, consolo, alívio”. Eu acrescentaria outra palavra que acho muita apropriada ao tema – “LIBERDADE”.

  Ao o meu ver, o melhor conceito de liberdade é: o direito de proceder conforme nos pareça bem, desde que esse direito não vá contra o direito de outrem. Esse deve ser o comportamento do indivíduo ou nação que goza de liberdade.

         O que passar disso sai do padrão de liberdade podendo ir para libertinagem, o desrespeito e a anarquia.

                      Independência e Liberdade podem andar juntas sem conflitos.

         Deus fez o homem e a mulher dentro dos parâmetros de Liberdade através do livre arbítrio contidos dentro da Moral e da Ética. Mas a mulher e o homem transgrediram e quiseram ser independentes; é como se eles dissessem “independência ou morte”; resultado: perderam a independência e se tornaram escravos da morte. “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram. ” (1)

          Mas Deus com o seu amor de tal maneira, inexplicável, prometeu e providenciou a Liberdade novamente para a humanidade, enviando Seu Filho Jesus e nos dando a independência e livrando-nos da morte. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. ” (2)

       Jesus dá a independência, livra da morte e dá a plena liberdade “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. (3)

       Há quem diga como judeus disseram a Jesus: “Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres? ” (4)

         Mas Jesus foi categórico: “Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. (5)

           Cabe a humanidade aceitar a liberdade que lhe é oferecida por Deus na pessoa de Filho Jesus Cristo. “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres. ” (6)

             Portanto os que estão em Cristo Jesus são independentes e livres para viver para Deus.

          Visto que Jesus nos deu o Espirito Santos para nos guiar em toda verdade, Paulo acrescenta: “Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. ” (7)

            Que Deus em Cristo nos ajude a vivermos na liberdade do Senhor; não para fazer o queremos, mas para fazer o que devemos, para o bem do próximo e honra de Deus. “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus.” (8)

O pastor José Maria do Nascimento é um Eletricista Industrial aposentado, ministro do Evangelho desde 1984, possui bacharel em Teologia pela IBETEL e professor de Teologia por 25 anos em São Paulo e no Paraná.

(1) Romanos 5.12                                                               (5) João 8.34

(2) João 3.16                                                                       (6) João 8.36

(3) João 8.32                                                                       (7) 2 Coríntios 3.17

(4) João 8.33                                                                       (8) 1 Coríntios 10.31

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s